Home Agenda Paquito D’Rivera: Astro do Jazz Latino chega ao Brasil

Paquito D’Rivera: Astro do Jazz Latino chega ao Brasil

0 77

São 12 Grammy Awards que o saxofonista cubano Paquito D’Rivera acumula na música erudita, popular e no jazz. Ao longo de seus mais de 50 anos dedicados à música, criou uma relação especialmente próxima aos ritmos brasileiros, que ele mostra amanhã, dia 23, na Sala São Paulo. Parte da série “Concertos Internacionais”, organizada pelo TUCCA (e com toda a renda destinada à assistência de jovens carentes com câncer), Paquito volta ao país para apresentar o bem-sucedido álbum Brazilian Dreams.

Fazer um show no Brasil tocando clássicos da MPB é uma grande homenagem. O que te liga aos ritmos brasileiros?  Sempre fui apaixonado pela música brasileira. Desde que sou criança escutava meu pai tocando todas as manhãs Tico-Tico no Fubá e Aquarela do Brasil em seu sax tenor.

Você que é um especialista em tocar todos os tipos de música latina. Qual deles é melhor para dançar?  O melhor ritmo para dançar são os de Cuba. Entre eles, a Salsa (de raízes cubanas) me chama especial atenção. Não à toa é um dos estilos mais dançados na América Latina.

Você acredita que a música latinoamericana está se renovando ou estacionou em um determinado momento da história?  Acho que sempre vão existir criadores que renovam a música no mundo, mas eles são sempre a minoria. Antonio Carlos Jobim, Charlie Parker, Astor Piazzolla ou Chucho Valdes não nascem todos os dias!

Algum novo talento do jazz latino que você aposta para os próximos anos?  Existe muita gente jovem com talento no mundo do Jazz Latino: David Sanchez, Danilo Perez, Miguel Zenon e Juan Andres Ospina são apenas alguns exemplos.   Você lida com três dos mais importantes países da música popular: Brasil, EUA  e Cuba. Todos eles têm uma relação profunda com a música africana. Seria possível dizer que a África é o berço da música popular no mundo?  Podemos dizer que a África é a mãe de quase todos os estilos musicais do Novo Mundo, mas o Samba, o Mambo e o Jazz nasceram nesta parte de cá e possuem uma identidade própria.

Por: Marie Claire